12 de junho

GDF - Administrações Regionais
9/06/21 às 17h13 - Atualizado em 9/06/21 às 17h13

Vacinas chegam com definição de grupos para atendimento

COMPARTILHAR

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON

  

A cada remessa de vacinas que a Secretaria de Saúde recebe da União, uma nota técnica orientando sobre o uso do insumo direciona o quantitativo de vacinas que determinados públicos-alvo receberão. Como exemplo, as 47.250 doses da vacina AstraZeneca, recebidas na manhã desta quarta-feira (9), vieram com a orientação para uso como primeiras doses.

 

“As doses chegam acompanhadas de uma nota técnica enviada pelo Ministério da Saúde, com orientações acerca dos grupos prioritários que devem ser atendidos. Depois disso, o Comitê de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 no DF se reúne para discutir a ampliação da vacinação de acordo com as doses que chegam”, explica a chefe do Núcleo da Rede de Frio, Tereza Luiza Pereira.

 

As doses recebidas na Pfizer/BioNTech na última segunda-feira (7), e a remessa da AstraZeneca recebida nesta quarta (9), já estão com a programação concluída para atendimento dos grupos de Comorbidades e Pessoas com Deficiência Permanente, Trabalhadores de Educação do Ensino Básico, forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e funcionários do sistema de transporte aeroportuário. Desta forma, será possível também ampliar a faixa etária.

 

“Cada dose tem o destino certo para os brasilienses. Todo o planejamento da vacinação é feito e calculado baseado na estimativa populacional do público alvo vigente. Por isso, após cada chegada de vacina o Comitê se reúne para decidir e planejar a estratégia de vacinação que será implantada”, destaca Tereza Luiza Pereira.

 

Fluxo

 

Primeiro as doses são recebidas na Rede de Frio Central e depois são distribuídas para as Regiões de Saúde, que, por sua vez, as encaminham para os pontos de vacinação de sua região para atender ao público estimado que deve buscar a dose nesses pontos.

 

“O agendamento tem possibilitado uma vacinação de forma mais planejada. No entanto, o que tem observado é que as pessoas estão agendando as doses, mas não estão indo buscar a vacina, ou até chegam no posto, mas não querem a vacina que está disponível. Por isso, para dar celeridade ao processo vacinal, o prazo aberto para que a pessoa que agendou retorne à unidade foi diminuído para cinco dias”, destaca o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros